News

  • 24°

    Blumenau
  • 23°

    Florianópolis

A cada dia surge uma informação diferente sobre agrotóxicos, seja pela liberação de um tipo novo ou por novas descobertas dos males que podem trazer. Por isso a reportagem da Associação de Diários do Interior (ADI-SC), em conjunto com a Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC), foi à Secretaria de Estado da Agricultura, da Pesca e do Desenvolvimento Rural para saber como o assunto é tratado em Santa Catarina, estado que tem produtos agrícolas sensíveis e importantes na pauta de exportações, a exemplo do mel e da maçã.

Quem nos atendeu foi o secretário-adjunto, Ricardo Miotto, engenheiro agrônomo, mestre e doutor em Ciência e Tecnologia de Sementes, até pouco tempo responsável pela gestão do Departamento Estadual de Defesa Sanitária Vegetal, na Companhia Integrada de Desenvolvimento Agrícola de Santa Catarina (Cidasc), onde entrou em 2006. Ali ele se dedicou especialmente às áreas de controle da qualidade dos insumos agrícolas, com ênfase no controle externo de qualidade de sementes, agrotóxicos e na sanidade vegetal.

 

Leia a matéria completa nos seguintes links:

 

Estado tem autonomia para controle mais restritivo de defensivos agrícolas

Saúde humana e sustentabilidade ambiental: a responsabilidade de cada um

Fiscalização e controle para minimizar danos com agrotóxicos

Tecnologia vai ajudar no controle de agrotóxicos em SC

Abelhas dão o alerta para desequilíbrio ambiental

Maçã catarinense dispensa uso de defensivo que penetra na fruta

 

(Abertura e links relacionados da edição de 15/07/2019 da Coluna Pelo Estado, distribuída para 20 diários integrados do interior de Santa Catarina/adisc.com.br e para os portais reunidos em scportais.com.br)