News

  • 23°

    Florianópolis
  • 23°

    Joinville

Movimento mundial antivacinação e não convivência com doenças graves consideradas sob controle, o que levou a um relaxamento da preocupação com vacinas. A receita não deu certo e o fato é que hoje o Brasil convive com um surto de sarampo. Só nos últimos 90 dias foram confirmados 5.404 casos de sarampo. Ainda que quase a totalidade (97%) esteja concentrada no estado de São Paulo, há 176 registros em cidades de outros 18 estados, incluindo Santa Catarina e os vizinhos Paraná e Rio Grande do Sul. Os dados são do novo Boletim Epidemiológico, divulgado nessa sexta-feira (4) pelo Ministério da Saúde. Para que a situação não ultrapasse o status de surto e chegue ao de epidemia, o Ministério começa na segunda-feira (7) a Campanha Nacional de Vacinação contra o Sarampo em todos os postos de saúde do país. Na primeira etapa, até o dia 25, o foco está em crianças de 6 meses a menores de 5 anos. O segundo grupo, que vai ser chamado à vacinação a partir de 18 de novembro, é de adultos de 20 a 29 anos, faixa etária mais acometida pela doença. A meta é vacinar 2,6 milhões crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Santa Catarina já recebeu 300 mil doses da vacina para a primeira fase da campanha. Só para lembrar: É uma doença viral, extremamente contagiosa. O vírus se espalha facilmente pelo ar através da respiração, tosse ou espirros e pode ficar até duas horas no ambiente. Uma pessoa com sarampo pode transmitir a doença para uma média de 12 a 18 pessoas que nunca foram expostas ao vírus anteriormente ou que não tenham se vacinado. A única forma de se prevenir é com a vacinação.

 

(Matéria principal da edição conjunta de 05 e 06/10/2019 da Coluna Pelo Estado, distribuída para 20 diários integrados do interior de Santa Catarina/adisc.com.br e para os portais reunidos em scportais.com.br)