News

  • 24°

    Blumenau
  • 23°

    Florianópolis

Unir esforços para a integração e o alinhamento dos trabalhos pelo fim da violência doméstica é o objetivo da da Frente Parlamentar de Combate à  Violência Doméstica, instalado ontem à noite em ato na Assembleia Legislativa. No mesmo ato foram lançados  Pacto Por Elas e o Selo Pacto Por Elas. Proposto pela deputada Ada De Luca (MDB), com o apoio da bancada feminina - deputadas Luciane Carminatti (PT), Marlene Fengler (PSD)  e Paulinha (PDT) -, o pacto foi assinado pelos representantes dos poderes Legislativo, Executivo e Judiciário, pelo Tribunal de Contas, Ministério Público, Federação das Indústrias (Fiesc), Associação de Diários do Interior (ADI-SC) juntamente com a Associação dos Jornais do Interior (Adjori-SC), além de representantes da sociedade civil organizada, entre outras instituições. Com o pacto, as diferentes instituições comprometem-se a unir esforços para diminuir os índices da violência doméstica em Santa Catarina. “Existem muitas iniciativas importantes que são fundamentais e que precisam ser integradas e alinhadas”, disse a deputada Ada De Luca. O presidente Institucional da ADI-SC, Nelson Pereira (foto abaixo), ficou impactado com os áudios liberados pela Polícia Militar de vozes femininas, infantis e adolescentes pedindo socorro. “Um estado como o nosso, com tantos dados positivos, não pode conviver com tamanha violência”, manifestou referindo-se ao fato de que Santa Catarina é, proporcionalmente, o  segundo estado em casos de violência doméstica e de estupros. De janeiro até agora, já foram registrados 28 casos de feminicídio em Santa Catarina. Na foto de cima, Ada De Luca, o presidente da Adjori, José Roberto Deschamps e Pereira.

 

(Fotolegenda da edição de 10/07/2019 da Coluna Pelo Estado, distribuída para 20 diários integrados do interior de Santa Catarina/adisc.com.br e para os portais reunidos em scportais.com.br)